Página Inicial

Banda larga cresce puxada por fibra óptica e pequenos provedores

Imagem retirada de https://melhorescolha.com/blog/planos-de-banda-larga/
Imagem retirada de https://melhorescolha.com/blog/planos-de-banda-larga/

Os números do mercado de telecomunicações dão força ao senso comum de que o acesso a internet é o serviço mais relevante. No primeiro semestre de 2018, a oferta de banda larga fixa cresceu 5% e adicionou 1,4 milhão de novas conexões, na contramão da telefonia fixa e móvel e da TV paga, todos em trajetória decrescente. No total, o Brasil encerrou junho com 30,3 milhões de acessos fixos à internet.

Mais uma vez, o destaque ficou com os pequenos provedores, ainda considerados aqueles com menos de 50 mil clientes. Eles foram responsáveis por mais de 1 milhão do total de novos acessos e continuam trazendo sete de cada 10 novas conexões do serviço de comunicação multimídia. Tanto nos seis primeiros meses de 2018 como no agregado do ano terminado em junho, período em que o segmento cresceu 9%, os pequenos ficaram com 71% das adesões líquidas.

Esse movimento ajuda a reduzir a concentração na oferta de internet no Brasil, ainda dominada por apenas três grupos: Claro/Net, que lidera com 30% do mercado, Telefônica (25%) e Oi (20%). Com exceção da Oi, que ainda às voltas com a recuperação judicial encolheu 1,7% desde janeiro, as líderes também cresceram. A Claro/Net avançou 3% e agregou 272 mil novos acessos. A Telefônica, com 131 mil, cresceu 1,7%. Entre os pequenos, porém, a alta foi de 22,7% no mesmo período.

No conjunto, a banda larga fixa é dominada por quatro tecnologias. Ainda predominam as conexões suportadas pelas redes tradicionais de telefonia, com 42% dos acessos via xDSL. O cabo coaxial fica com 30% do mercado, enquanto as redes de fibra óptica já figuram como a terceira principal forma de conexão, com 13,6% do total. Acessos por rádio de alta capacidade são 7,8%. Juntas, essas quatro tecnologias representam 95% da banda larga fixa no país.

É a fibra, no entanto, que vai ganhando terreno. De longe é a tecnologia que mais cresce, tendo sido responsável por 1 milhão das 1,4 milhão de novas conexões adicionadas no primeiro semestre de 2018. Nesse período, cresceu 35%, muito mais que as conexões por cabo (+6,6%) ou mesmo rádio (+13%). E se analisada a trajetória dos últimos 12 meses, o avanço é ainda mais significativo, de 75%. No total, já são 4,1 milhões de conexões por fibra no país.

fonte: ComputerWorld