Página Inicial

Como as telecomunicações revolucionam a mobilidade nas cidades

Imagem retirada de: https://s2.glbimg.com/F9lI0XJ3cpMSwp4AMR7HXvIAu24=/0x0:1600x1067/1344x0/smart/filters:strip_icc()/i.s3.glbimg.com/v1/AUTH_59edd422c0c84a879bd37670ae4f538a/internal_photos/bs/2018/B/c/O5JfmyRuG0Eo5ptOTPzQ/telecom-mobilidade.jpg
Imagem retirada de: https://s2.glbimg.com/F9lI0XJ3cpMSwp4AMR7HXvIAu24=/0x0:1600x1067/1344x0/smart/filters:strip_icc()/i.s3.glbimg.com/v1/AUTH_59edd422c0c84a879bd37670ae4f538a/internal_photos/bs/2018/B/c/O5JfmyRuG0Eo5ptOTPzQ/telecom-mobilidade.jpg

Quando se fala em infraestrutura de mobilidade urbana, logo se pensa em grandes obras de metrô, VLT, corredores de ônibus e melhorias em ruas e avenidas. Apesar de tudo isso ser importante, há um outro fator cada vez mais necessário na área: a tecnologia. Aplicativos para smartphones, internet das coisas e controles de tráfego estão mudando a forma como nos locomovemos e se tornando ferramentas indispensáveis.

As telecomunicações são um suporte fundamental para a infraestrutura das cidades. Com a tecnologia 5G, o celular alavancará a mobilidade urbana nas cidades. “Além das iniciativas já conhecidas, poderão ser utilizadas aplicações de inteligência artificial para gerenciamento de semáforos e sinalização em geral. A tecnologia servirá também para comunicação entre veículos autônomos, entre outras aplicações que irão mudar o jeito das pessoas se locomoverem nas cidades”, afirma André Costa, diretor da CCR EngelogTec, empresa de tecnologia do Grupo CCR.

Para que isso seja feito com qualidade, a pesquisa em telecomunicações para mobilidade é fundamental para garantir cobertura de transmissão de dados e voz em alta velocidade. Com isso, será possível identificar necessidades das pessoas, a disponibilidade da rede de transportes ao redor e indicar quais os possíveis meios para serem utilizados.

O desafio técnico é aumentar a qualidade da transmissão dos dados. O investimento em fibra óptica e mais torres de transmissão serão fundamentais com a chegada do 5G para a captação de dados do tráfego e retransmissão em tempo real de informações aos usuários em melhores condições, segundo André Tostes, diretor da Samm, empresa de Comunicação Multimídia do Grupo CCR. “Isso força a infraestrutura de fibra óptica a ter um investimento bastante alto”, alerta o executivo da empresa, focada em prestar serviços de transmissão de dados em alta capacidade.

André Costa lista outros desafios para adaptar o Brasil ao novo cenário. Em primeiro lugar, ele defende a criação de um marco regulatório claro e seguro para que o compartilhamento de informações entre os diversos meios de transporte favoreçam o usuário. Depois, vê a necessidade de projetos de parceria público privadas (PPPs) viáveis que permitam o investimento e a prestação de serviços. Por fim, o diretor crê na importância do incentivo à solução de problemas de mobilidade urbana.

A revolução dos apps

Mesmo os aplicativos, que já revolucionaram a mobilidade nas grandes cidades, ainda ampliarão a participação na vida das pessoas. “A tendência de uso é impossível de ser diminuída. Os aplicativos têm um uso diário que virou necessidade e um sem número deles ainda vão aparecer para facilitar a vida do usuário”, prevê Tostes.

Além dos apps já existentes – para navegação, compartilhamento de carros e aluguel de bicicletas –, outras novidades aparecerão no mercado brasileiro e mundial nos próximos anos. Os aplicativos permitirão que as pessoas chamem veículos autônomos para viagens. “A disponibilização de novas tecnologias e o acesso geraram novas oportunidades de negócios e possibilidades para disrupções”, comenta o Head of Operations Brazil da Cabify, Luis Saicali.

Para ele, os apps ajudam a descongestionar as ruas das cidades ao oferecer uma alternativa de mobilidade segura que desencoraja o uso do carro privado. “Hoje, não somos mais dependentes dos carros. É normal irmos para festas ou trabalho usando aplicativos. Não precisamos mais nos preocupar com estacionamento, gasolina ou com o caminho”, diz.

Para o gerente de Políticas Públicas da 99, Christian Baines, a tecnologia consolidará a multimodalidade. Com isso, as pessoas farão suas viagens por mais de um modal com o uso de plataformas que reúnam várias opções de deslocamento no mesmo aplicativo, o que já ocorre em países como a China. “Essa facilidade permite que o passageiro compare tempo, distância e custo das diferentes alternativas de transporte oferecidas no mesmo aplicativo e escolha a mais adequada para ele”, explica Baines.

 

Fonte: G1