Página Inicial

Confira mitos e dúvidas comuns sobre fibra óptica

Imagem retirada de https://olhardigital.com.br/dicas_e_tutoriais/noticia/5-mitos-sobre-fibra-optica/75660
Imagem retirada de https://olhardigital.com.br/dicas_e_tutoriais/noticia/5-mitos-sobre-fibra-optica/75660

A internet via fibra óptica tem se popularizado no Brasil nos últimos tempos graças à sua promessa de conexões de alta velocidade. De fato, o uso desse tipo de cabeamento tem permitido o lançamento de planos acima dos 100 Mbps no país por preços mais convidativos e com serviços de melhor qualidade. Mas, junto com a expectativa e euforia, alguns mitos e enganos sobre essa tecnologia também se tornaram comuns.

Para te ajudar a conhecer melhor o funcionamento da fibra óptica, o Olhar Digital reuniu algumas dúvidas corriqueiras sobre este tipo de conexão. A seguir, são apresentadas algumas características e detalhes técnicos deste tipo de serviço, bem como comparações com os fios de cobre tradicionais. Confira:

- Como funciona?
Ao contrário dos fios convencionais, que usam cobre e outros metais para conduzir informações, os cabos de fibra óptica possuem vidro em seu núcleo. Tudo começa por um transmissor na central da operadora, capaz de converter dados em feixes de luz e transmiti-los por distâncias podem chegar até 40 ou 80 quilômetros sem sofrer distorção. No entanto, é possível percorrer caminhos mais longos, desde que seja usado um transmissor para reforçar os sinais.

Ao chegar em sua casa, os feixes luminosos são convertidos novamente pelo seu modem para dados. Todo esse processo ocorre em altíssimas velocidades e sem interferências. Com isso, a fibra óptica tem capacidade de atingir taxas de até 50 Gbps em condições ideais, embora a maior parte dos pacotes comerciais disponíveis no Brasil atualmente fiquem na casa dos 100 Mbps a 500 Mbps.

Para se ter uma ideia do poder de transmissão da fibra óptica, um cabo com o diâmetro de um fio de cabelo pode transmitir 2,5 milhões de chamadas telefônicas simultaneamente. Já um cabo convencional de cobre precisaria de um diâmetro de seis metros para conduzir a mesma quantidade de informações.

Como é possível perceber, as conexões de fibra óptica podem ser utilizados para muitos fins, além da internet. É possível usá-la para ligações de telefone, envio de sinais de TVs, conexão de áudio, entre outras. No entanto, o uso que mais se popularizou nos últimos anos é o seu uso para conexão de ultra velocidade. Após essa breve explicação, vamos aos principais mitos e dúvidas comuns.

1 - O cabo de é frágil por ser de vidro?
Diferente do que se pensa, o cabo de fibra óptica não é mais frágil por ter vidro em sua composição. Pelo contrário, na comparação com outros fios, este tipo de cabo é até mais resistente a tensões e temperaturas elevadas do que os modelos metálicos. Isso acontece porque as camadas de proteção os deixam muito resistentes para o seu uso no cotidiano.

O que acontece, na verdade, é que os cabos de fibra óptica demandam alguns cuidados adicionais na hora da instalação. Ao se cortar um fio, o técnico deve ter bastante cuidado para não danificar o núcleo feito de vidro. Além disso, também é preciso ter atenção para que sujeiras não acabem interferindo na transmissão dos feixes de luz e, consequentemente, na estabilidade da conexão.

2 - A fibra óptica sofre interferência ou perda de sinal?
Como dito anteriormente, os cabos de fibra óptica possui um revestimento que os tornam menos suscetíveis a deterioração do que os cabos convencionais. Além disso, por utilizar vidro em seu núcleo e materiais isolantes, a fibra óptica também não sofrem interferências eletromagnéticas como os tipos os fios de cobre e de outras ligas metálicas.

No quesito segurança, aliás, as conexões por fibra óptica também estão à frente. Como os fios de cobres deixam "vazar" sinais eletromagnéticos, um hacker pode ter acesso a essas informações sem precisar de contato físico. Já no caso de transmissões por luz, é preciso ter acesso ao núcleo do cabo para interceptar as informações. Ou seja, o usuário tende a estar mais seguro na fibra óptica, mas, na dúvida, use sempre criptografia.

3 - A fibra óptica vai aumentar a minha velocidade?
As tradicionais, e mais populares, redes UTP conseguem atingir velocidades máximas de até 100 Mbps na maioria dos casos. No entanto, é possível alcançar até 1 Gbps com o uso de cabos cat6, que ainda não se popularizaram. Já as conexões de fibra óptica, por sua vez, podem atingir velocidades de até 50 Gbps.

Ou seja, uma internet de fibra óptica consegue sim, na teoria, entregar mais velocidade na sua casa. Entretanto, as velocidades oferecidas atualmente pelas operadoras não diferem tanto das tradicionais que são utilizadas com outros cabos. Ainda assim, a expectativa é que as redes mais novas se sobressaiam pelo fato não sofrer interferências e, consequentemente, por ser mais estável.

Há ainda de se destacar que, enquanto os métodos tradicionais estão atingindo seus picos de velocidade, as redes de fibra óptica não aproveitam todo o seu potencial. Ou seja, ainda que as operadoras não entreguem uma conexão muito superior atualmente, a tendência é que melhorias sejam feitas mais facilmente no futuro.

4 - O cabo de fibra óptica vai até a minha casa ou para na rua?
A rede de fibra óptica pode sim chegar até na sua casa, porém nem sempre isso é o que acontece. Cada operadora trabalha de forma diferente, e hoje temos três principais meios para a sua distribuição. Veja:

- FTTB (Fiber To The Building) - A rede de fibra óptica chega até a entrada de um edifício. Em um terminal, o acesso será distribuído via cabo metálico para seus usuários;
- FTTA (Fiber To The Apartment) – A fibra óptica chega até uma central no edifício, e a partir dela o sinal ótico é dividido com splitters para chegar até seus usuários;
- FTTH (Fiber To The Home) – A rede de fibra óptica chega até a casa de seu usuário em um receptor ótico.

5 - A implementação é mais complexa?
Quando a tecnologia surgiu, a sua instalação era realmente bem complicada e o preço não era nada vantajoso. Afinal, os especialistas gastavam algumas tentativas para conseguir uma boa conexão por conta de seus conectores não muito sofisticados.

Atualmente, porém, os seus conectores estão mais parecidos com os que utilizamos em outras redes: os tradicionais Catx. Outro ponto importante, é que o preço de seus cabos também vem diminuindo constantemente devido a sua popularização e maior disponibilidade, inclusive de matéria prima.

Por fim, as camadas de proteção e isolamento mencionados anteriormente também tendem a ajudar em um quesito importantíssimo: o preço de manutenção. Como sofrem mais com altas temperaturas e se deterioram mais rápido, os fios de cobre precisam ser trocados com alguma frequência para continuar entregando resultados satisfatórios.

fonte: Olhar Digital