Página Inicial

Inatel reduz centenas de cabos de cobre a um único cabo de fibra e garante rede local de altíssima velocidade

Imagem retirada de https://www.terra.com.br/noticias/dino/inatel-reduz-centenas-de-cabos-de-cobre-a-um-unico-cabo-de-fibra-e-garante-rede-local-de-altissima-velocidade,858b61d60d655d4ad5f4d605d9dd8f6bir895a5z.html
Imagem retirada de https://www.terra.com.br/noticias/dino/inatel-reduz-centenas-de-cabos-de-cobre-a-um-unico-cabo-de-fibra-e-garante-rede-local-de-altissima-velocidade,858b61d60d655d4ad5f4d605d9dd8f6bir895a5z.html

 O Inatel - Instituto Nacional de Telecomunicações equipou seus 10 laboratórios com uma infraestrutura de rede POL (Passive Optical LAN) que garante altíssima velocidade no tráfego de Internet, servidores internos, telefonia e demais serviços e dados que dependam da rede.

O projeto foi possível a partir de uma doação feita pela Parks que economizou à instituição um investimento da ordem de R$ 120 mil.

Mas a economia feita não é o principal benefício: com a solução POL, todas as centenas de cabos de cobre antes utilizados para fornecimento de rede local foram substituídos por um único cabo de fibra óptica, que pode entregar velocidades de até 40 GB, e isso tudo com consumo extremamente baixo de energia: não mais do que 90W, equivalente a uma lâmpada comum.

Conforme Daniel Grandin Lona, Engenheiro de Pré-Vendas POL da Parks, na primeira fase do projeto, que contempla os laboratórios do Inatel a redução de cabos de cobre e racks ao redor deverá ser da ordem de 27%, liberando salas e outros espaços para melhor uso pelos alunos. Quando o projeto avançar para mais prédios, em 2018, este corte deverá chegar a 90%, dando ainda mais espaço aos usuários do Inatel. Já o consumo de energia terá uma queda de até 30%.

"Isto é possível devido à escalabilidade da solução POL. Quanto mais dispositivos a central POL conecta, mais benefícios ela traz para a rede", comenta Lona.

No longo prazo, a economia só aumenta, já que a rede POL tem durabilidade de pelo menos 30 anos, enquanto uma rede convencional em cobre dura apenas 6 - 7 anos.

O Engenheiro também ressalta que, além da central doada ao Inatel, que é a mais avançada do portfólio da Parks, a empresa também cedeu ao Instituto os terminais responsáveis por criptografar e descriptografar os dados, o que segue os padrões internacionais de segurança da informação", destaca o executivo. "A tecnologia empregada pelo Inatel é a mesma adotada por importantes órgãos governamentais americanos de segurança nacional, como Pentágono e CIA", complementa Lona.

O professor Arismar Cerqueira Sodré Junior, Coordenador do Laboratório WOCA do Inatel, detalha que em uma primeira fase, todos os laboratórios de pesquisa do Instituto serão interligados por meio da rede POL. "Vislumbramos expandir para outros prédios em 2018", explica.

 Nos laboratórios já contemplados, a estrutura doada pela Parks será utilizada para a realização de pesquisas em sistemas celulares de quinta geração (5G), comunicações ópticas, Internet das Coisas (IoT) e Internet do Futuro, dentre outras.

Os laboratórios usuários são: Lab. Centro de Referência em Radiofrequência (CRR) (desenvolve o 5G brasileiro), Lab. WOCA (Convergência Óptica e Wireless), Lab. Rádio Cognitivo, Lab. de Empreendedorismo, Lab. Robótica, Lab. Internet das Coisas, Lab. Geral do Mestrado, Lab. Games e Lab. Desenvolvimento e Transferência de Tecnologia Assistiva (CDTTA), que é um local destinado à pesquisa e desenvolvimento de soluções tecnológicas que facilitem a vida das pessoas com deficiência e sejam acessíveis a todas as camadas da população.

Em termos técnicos, Grandin Lona explica que a POL cria uma rede totalmente segura e à prova de invasão por hackers que desejam obter informações dentro da rede local. O software de gerenciamento, denominado Intellion - Intelligent Optical Network possui funcionalidades que detectam qualquer alteração na rede em tempo real, permitindo que qualquer tipo de invasão ou rompimento da fibra seja facilmente localizado e corrigido.

"É possível, por exemplo, criar um mapa da planta baixa dos laboratórios com a disposição de cada terminal POL instalado. Isso facilita a visão geográfica da rede e configuração de múltiplos perfis de usuários, podendo o equipamento agrupar ou separar as redes virtualmente através de VLANs", comenta o Engenheiro. "Mesmo a central utilizada pelo Inatel sendo compacta, é capaz de criar até 4096 VLANs, ou seja: podemos criar uma LAN individual para cada usuário da rede do Inatel, algo impensável em tradicionais redes de switches devido à complexidade de gerenciamento", acrescenta.

Conforme o Engenheiro, participar do projeto Smart Campus Inatel é interessante para a Parks por integrar a estratégia da empresa no fomento a pesquisas voltadas para o mercado. "Desejamos estar próximos de toda a tecnologia de ponta e que irá transformar significativamente a vida das pessoas e da indústria nos próximos anos. Dentro desse ecossistema, citamos algumas como: IoT, redes hiperconvergentes (POL), redes mobile da próxima geração - 5G (CRR - Inatel), robótica e automação industrial, além de antenas inteligentes (Lab. WOCA)", destaca ele.

O Inatel possui diversas vertentes e laboratórios que usam o POL nas tecnologias citadas, principalmente no 5G. Com a rede POL instalada, o Instituto já produziu materiais e artigos científicos apresentados na União Europeia em 2017.

"O Inatel desenvolve o 5G nacional juntamente com os Estados Unidos e Coréia. Isso é fantástico. Pela primeira vez, estamos trabalhando ao mesmo tempo nessa tecnologia com os países de primeiro mundo, o que significa que a tecnologia chegará ao Brasil no mesmo período que os países de primeiro mundo. É um importante passo para economia do país e para o nosso desenvolvimento social e tecnológico. A rede POL instalada no Inatel é responsável pela transmissão desses sinais com tecnologia 5G dentro do campus", comemora Lona.

fonte: Terra