Página Inicial

MCTIC e BNDES estudam criação de fundo para dar créditos a pequenos provedores

MCTIC e BNDES estudam criação de fundo para dar créditos a pequenos provedores

O Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) estão avaliando a possibilidade de lançar um programa de fundo garantidor de financiamento para pequenos provedores de internet no Brasil.

Segundo o MCTIC, o objetivo seria facilitar o acesso ao crédito a empreendedores deste setor, ampliando a infraestrutura no país, bem como promovendo o acesso à internet em todo o território nacional. O assunto foi debatido nesta quinta (26) entre o ministro Gilberto Kassab, o presidente do BNDES, Paulo Rabello de Castro, e o presidente da Telebras, Maximiliano Martinhão.

Martinhão, inclusive, acredita que falta uma política pública brasileira que apoie os pequenos provedores, que levam a conexão com a internet para o cidades do interior e áreas rurais. "O que estamos desenhando é exatamente isso: utilizar as agências do governo federal, como Finep e BNDES, para criar um programa que permita a esses empreendedores ter acesso ao crédito, para que possam crescer e melhorar os serviços nas pequenas cidades. É uma política alinhada com uma estratégia do ministério e do BNDES, que envolve inovação, empreendedorismo e inclusão", revelou o executivo.

Atualmente, existem cerca de 5 mil pequenos provedores no interiordo Brasil, segundo dados do BNDES. E, de acordo com o chefe de departamento das indústrias de tecnologia da informação e comunicação do órgão, "queremos ajudar a estruturar um fundo garantidor e fundos de investimento direto, mas a grande barreira que temos que ultrapassar é a oferta de garantias aos financiadores".

Ainda, para Basílio Perez, presidente da Associação Brasileira de Provedores de Internet e Telecomunicações (Abrint), construir um fundo garantidor aos pequenos provedores é fundamental para que a banda larga brasileira seja expandida. Ele acredita que os estudos quanto à viabilidade deste programa devam ser concluídos dentro de um mês e, "se tudo der certo, os provedores vão começar a ter disponibilidade desse fundo para garantir os financiamentos", ampliando a banda larga nacional, além de melhorar o acesso à população.

Fonte: MCTIC