Página Inicial

Nova rede óptica da Huawei consegue alcançar 600 Gbps em cada fibra

Imagem retirada de https://www.tecmundo.com.br/internet/134348-nova-rede-optica-huawei-consegue-alcancar-600-gbps-cada-fibra.htm
Imagem retirada de https://www.tecmundo.com.br/internet/134348-nova-rede-optica-huawei-consegue-alcancar-600-gbps-cada-fibra.htm

A Huawei anunciou um novo padrão para redes de fibra óptica. A empresa afirma que, usando chips OptiXtreme oDSP fabricados por ela mesma, é possível alcançar velocidades de até 600 Gbps em cada fibra de sua rede.

Essa solução é encarada como ideal para países de dimensões continentais, como o Brasil, o qual também registra um crescimento exponencial na demanda por conexão banda larga de alta velocidade.

Redes de alta capacidade como essa da Huawei podem ainda ajudar a baratear o custo final para operadoras e também para o consumidor. A consultoria IHS ressaltou que o custo por bit para transmissão em redes de fibra óptica registrou uma queda importante em 2011, mas que tem ficado estável nos últimos três anos. Isso teria acontecido em razão do advento das redes de 100 e 200 Gbps, que, desde então, têm sido “amadurecidas” em vez de atualizadas para tecnologias mais novas.

Capacidade variável
Contudo, com a grande demanda por internet doméstica e comercial no Brasil, as operadoras começaram a buscar soluções para baratear suas operações e oferecer mais conexão sem aumentar o preço final ao consumidor. A Huawei diz que é justamente nesse sentido que se encaixa sua nova tecnologia de 600 Gbps.

Isso porque ela funciona em um comprimento de onda único e ajustável. Dessa maneira, as operadoras podem configurar a velocidade de transmissão de acordo com a demanda (entre 100 e 600 Gbps) e obter sempre a opção mais eficiente.

A empresa também afirma que garante a maior distância de transmissão com essa nova rede e também oferece um módulo com inteligência artificial para ajustar automaticamente o desempenho da rede de acordo com a demanda a fim de ganhar e eficiência energética.

Não foi revelado, até o momento, nenhum contrato com operadoras brasileiras para o uso dessa tecnologia em solo nacional.

fonte: Tecmundo