Página Inicial

Quase metade dos roteadores tem alguma brecha, diz Avast

Imagem retirada de http://g1.globo.com/tecnologia/blog/seguranca-digital/post/quase-metade-dos-roteadores-tem-alguma-brecha-diz-avast.html
Imagem retirada de http://g1.globo.com/tecnologia/blog/seguranca-digital/post/quase-metade-dos-roteadores-tem-alguma-brecha-diz-avast.html

A fabricante de antivírus Avast analisou 4,3 milhões de roteadores domésticos em uso no mundo todo e concluiu que 48% deles tinham ao menos alguma vulnerabilidade de segurança. A empresa ainda consultou 1.253 usuários da sua própria base de clientes no Brasil e descobriu que mais da metade deles não sabe que o equipamento usado para acessar a internet tem um painel de configuração.

A análise dos roteadores foi realizada a partir dos computadores dos próprios consumidores por meio do Avast Home Network Security, um produto da companhia que identifica vulnerabilidades nesses equipamentos.

Para diversas modalidades de acesso á internet (como ADSL, cabo e fibra óptica), é comum a utilização de um modem com roteador integrado. Muitas vezes, o equipamento é fornecido pelo provedor, mas o usuário não recebe orientação adequada.

Para Avast, esse cenário torna o roteador o "elo mais fraco" da segurança de uma rede doméstica. Criminosos podem atacar roteadores para redirecionar o tráfego do internauta para páginas falsas, clonadas ou infectadas com vírus, abrir caminho para acesso a dispositivos da rede interna - como câmeras de vídeo - e também integrar esses equipamentos a redes-zumbi que atacam outros dispositivos na internet. Esta última, além de prejudicar os donos desses sites e serviços atacados, também consume a conexão do consumidor e a deixa mais lenta.

"Roteadores domésticos são fracos e, portanto, também vulneráveis, porque na maioria dos casos os fornecedores de serviços de internet, os fabricantes dos roteadores e a comunidade de segurança têm negligenciado o reconhecimento, exame e solução dessas fragilidades", avaliou Ondrej Vlcek, diretor de tecnologia da Avast.

Vulnerabilidades em roteadores normalmente exigem uma atualização do software do equipamento. Esse software é chamado de firmware. Diferente dos computadores e celulares, que recebem atualizações regulares e de forma automática, muitos roteadores exigem um processo manual para atualização desse firmware, mantendo o equipamento vulnerável.

Segundo o levantamento da Avast, apenas um em cada sete consumidores já fez uma atualização desse tipo.

A Avast também descobriu que mais da metade dos equipamentos continua com a senha padrão de fábrica, como "admin/admin" e outras do tipo. Como muitos usuários não sabem que o roteador possui um painel de configuração, eles também não sabem como fazer a troca da senha, que é necessária para manter o equipamento seguro.

Mas Vlcek destacou que, mesmo quando o usuário toma essa precaução, a presença de vulnerabilidades diversas - incluindo contas de suporte cuja senha fica gravada no firmware e não pode ser alterada pelo usuário - ainda pode deixar o roteador vulnerável.

"Roteadores domésticos são essenciais para nós, e devido às inúmeras ameaças que os usuários enfrentam ao usarem um roteador vulnerável é hora de a indústria de segurança, fabricantes e provedores de internet se unirem para abordar as fragilidades do roteador", sentencia Vlcek.

fonte: G1